segunda-feira, 20 de maio de 2019

Sobre reflexões inesperadas...

Neste final de semana, fomos á um casamento. Todo final de semana eu tenho festa para fotografar, mas desta vez fui como convidada e é sempre muito bom quando aparece a oportunidade de colocar um belo vestido e aproveitar um momento com a minha família.

Na igreja, a cerimônia foi bonita, como em todo casamento deve ser. As madrinhas estavam lindamente vestidas em tom pastel. Havia chovido no dia anterior, mas no momento do casamento estava nublado e um friozinho delicioso, fazendo jus ao Outono!

O Padre destacou que o casal, além de serem muitos jovens, tinham também o traço da "jovialidade". E que existem jovens velhos e velhos jovens também, por isso destacou por diversas vezes a característica da "jovialidade", pois é algo que possuímos (ou não) independente de idade. Em um discurso inesperado, o Padre falou sobre sexualidade, sobre casais em sintonia que tem uma excitação garantida para a relação. Essa é a base que ele sustentou. Um casal amoroso, que cuida um do outro, sempre estarão em sintonia sexualmente. Sim, minha gente, o sexo foi o tópico neste casamento e eu achei notável essa "quebra de barreira", vamos colocar assim...

Aquele homem de cabelos volumosos e grisalhos, um viajado por países, cidades e costumes, esse respeitado senhor, lá no altar disse para toda a igreja presente e especialmente para a noiva que, mulheres podem alcançar tudo aquilo que querem, podem e devem ocupar os mais variados espaços na sociedade, na carreira principalmente, mas que ela nunca perca a ternura de ser mulher, porque é isso o que a torna única. Que deixe o agora marido, cuidar dela, protegê-la, pois isso não faria dela menos mulher de jeito nenhum. Que ela conquiste seu espaço como mulher, mas que não perca a sua essência de ser feminina!

Eu achei o discurso necessário, com os tempos que estamos vivendo hoje, mas sei que nem todo mundo vai concordar comigo. Esse é um caso de "você vê o copo meio vazio ou meio cheio?"

Eu, Elza, talvez sendo "Poliana" e romântica por natureza, pensei positivamente e vi como um copo meio cheio. Eu valorizo a sabedoria e a importância desse discurso. Eu, sendo mulher, com maturidade consigo respeitar essa posição sem me ofender. Eu entendo a importância de cuidar e ser cuidada, respeitando cada papel na relação. Feliz é aquele que sabe equilibrar isso sem extremidades.

Que tenhamos essa jovialidade (e leveza) sempre, não importa a idade 

Uma ótima semana para todos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário