sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Nas Montanhas... Post completo

2020 começou para nós aqui, de maneira muito serena. Se 2019 foi um turbilhão de sensações e inquietudes, (mas não me leve á mal, muitas coisas boas no caminho também), eu precisava começar o ano quebrando esse ciclo e fazendo diferente. Assim que passou a virada do ano, nós nos aventuramos em nossa primeira experiência em um chalé, lá no friozinho das Montanhas de Monte Verde. A intenção era exatamente essa, ter um refúgio para começar o ano com um respiro por dentro, sabe?!


O Hotel Fazenda Itapuá, foi o escolhido. Um lugar muito bonito, bem cuidado e cercado por natureza. Não gente, não é publi, é apenas o relato de uma boa experiência!
A decisão de ir para um Hotel Fazenda, foi pensada nos meninos também, afinal eles tem 8 e 11 anos e a ideia de dias de férias para eles, fechados em um chalé, chega a ser crueldade. Portanto, atividades como piscina, passeios á cavalo, trilhas, foram muito bem vindas.


Nós saímos de casa, em um dia quente. Foi só chegar nas proximidades de Minas Gerais, caminho á Camanducaia, que o clima mudou drasticamente. Foi um alívio imediato. Na subida da serra, encontramos chuva, o que nos preocupou um pouco. E assim foi nosso primeiro dia lá, de muita chuva mesmo. Não vou mentir e posso dizer que ficamos realmente tensos, pois tudo que a gente tinha planejado corria o risco de não acontecer.


O chalé era puro charme. Bem rústico, do jeitinho que a gente gosta. Fomos muito bem recebidos por todos. Também fomos recepcionados por muitos "doguinhos" na Recepção balançando o rabinho quando viam a gente chegar. 

Mas esse primeiro dia foi de muita chuva e de descanso obrigatório mesmo. Nos chalés não tem Wi-fi, portanto foi uma noite de filmes e desenhos na tv mesmo, até a hora de jantar. O Hotel possui 2 restaurantes dentro do local. Um de comida caseira e outro de comida alemã. Caso você não queira ir para o Centro da cidade. Os pratos vieram com porções generosas. A lasanha é tão grande, que pode ser servida para dois.


A chuva continuou a noite toda, confesso que pedi muito á Deus para que a chuva parasse um pouquinho. Toda essa tensão com a chuva deixou a minha noite agitada e atrapalhou meu sono.
Assim que o dia amanheceu, a chuva parou e um Sol tímido apareceu, aliviando nossas preocupações.


Chegou o momento preferido de toda viagem: o Café-da-manhã! E que café mais maravilhoso foi esse. Tudo fresquinho e feito lá mesmo. Inclusive o iogurte, bem grosso e cremoso.


Depois do café, fomos explorar. Aproveitamos para fazer de tudo um pouquinho. Arthur e marido foram andar a cavalo, Thomas e eu ficamos juntos esperando no parquinho. Mais tarde o Sol foi generoso com a gente e saiu de vez. Pedi para os meninos se sentirem gratos e aproveitarem bem o dia.




Terceiro e último dia de viagem. Teve mais passeio á cavalo, porque o Arthur adora de verdade, Thomas passou horas na rede da varanda e assistiu seu desenho favorito "Urso sem Curso". E logo veio mais frio e chuva fina. Fomos para a cidade passear um pouquinho mesmo assim.






E assim voltamos pra casa, com um respiro para receber o Ano Novo 

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Post n. 1: A Fresh Start...

Me sento aqui neste primeiríssimo post de 2020. Não sei se consigo mais fazer isso, há 10 anos atrás eu era muito boa nesse negócio de blogar. Digo boa em escrever, registrar o que sentia, compartilhar o que via de bonito pela internet, de focar no belo mesmo... Mas a Internet não anda mais a mesma, nem eu sou mais a mesma que tinha esse blog só para falar de decoração, casa, filhos e filmes... quanta coisa mudou, como eu mudei junto com o mundo. Você que está lendo isso, provavelmente deve ter mudado também. E não há nada de errado nisso, como é bom mudar!

Mas nesse post de "re-estréia", meio desajeitado, meio enferrujado, vim anunciar que voltarei ao básico, á base, ao simples, ao que sinto vontade de fazer já faz um tempo, esse comichão que me deu de vontade de voltar a escrever, mas a opinião alheia e o mundo radical de hoje me impediam um pouco de voltar. Já falei que quero colocar pra fora alguns pensamentos? Que quero fazer desse cantinho uma terapia, como era no começo?

Sem expectativa e sem pressão...

So, let's go...


segunda-feira, 20 de maio de 2019

Sobre reflexões inesperadas...

Neste final de semana, fomos á um casamento. Todo final de semana eu tenho festa para fotografar, mas desta vez fui como convidada e é sempre muito bom quando aparece a oportunidade de colocar um belo vestido e aproveitar um momento com a minha família.

Na igreja, a cerimônia foi bonita, como em todo casamento deve ser. As madrinhas estavam lindamente vestidas em tom pastel. Havia chovido no dia anterior, mas no momento do casamento estava nublado e um friozinho delicioso, fazendo jus ao Outono!

O Padre destacou que o casal, além de serem muitos jovens, tinham também o traço da "jovialidade". E que existem jovens velhos e velhos jovens também, por isso destacou por diversas vezes a característica da "jovialidade", pois é algo que possuímos (ou não) independente de idade. Em um discurso inesperado, o Padre falou sobre sexualidade, sobre casais em sintonia que tem uma excitação garantida para a relação. Essa é a base que ele sustentou. Um casal amoroso, que cuida um do outro, sempre estarão em sintonia sexualmente. Sim, minha gente, o sexo foi o tópico neste casamento e eu achei notável essa "quebra de barreira", vamos colocar assim...

Aquele homem de cabelos volumosos e grisalhos, um viajado por países, cidades e costumes, esse respeitado senhor, lá no altar disse para toda a igreja presente e especialmente para a noiva que, mulheres podem alcançar tudo aquilo que querem, podem e devem ocupar os mais variados espaços na sociedade, na carreira principalmente, mas que ela nunca perca a ternura de ser mulher, porque é isso o que a torna única. Que deixe o agora marido, cuidar dela, protegê-la, pois isso não faria dela menos mulher de jeito nenhum. Que ela conquiste seu espaço como mulher, mas que não perca a sua essência de ser feminina!

Eu achei o discurso necessário, com os tempos que estamos vivendo hoje, mas sei que nem todo mundo vai concordar comigo. Esse é um caso de "você vê o copo meio vazio ou meio cheio?"

Eu, Elza, talvez sendo "Poliana" e romântica por natureza, pensei positivamente e vi como um copo meio cheio. Eu valorizo a sabedoria e a importância desse discurso. Eu, sendo mulher, com maturidade consigo respeitar essa posição sem me ofender. Eu entendo a importância de cuidar e ser cuidada, respeitando cada papel na relação. Feliz é aquele que sabe equilibrar isso sem extremidades.

Que tenhamos essa jovialidade (e leveza) sempre, não importa a idade 

Uma ótima semana para todos 

terça-feira, 19 de março de 2019

Coração de Papelão ❤

Eu sempre, sempre soube que eu era uma pessoa manual. Criar, renovar, inventar, faz muito parte de mim, de quem eu sou. Com a chegada da internet, da velocidade da informação, compartilhamentos e inspirações, isso ficou mais aflorado. A internet é um campo infinito de inspirações e ideias, o Pinterest que o diga ❤ Aí vai um DIY , ridiculamente fácil e bem simples de fazer, do jeitinho que eu sempre gostei.

Separa aí...

*Pedacinhos de papelão
*linhas
*furador de coração
*fita crepe








Boa Terça ❤

sexta-feira, 8 de março de 2019

I'm back ❤

Tem alguém aí?

Sim? Não? Talvez ainda tenha...



Não vou fazer textão, nem listar os motivos desse hiato tão longo. Vou voltar fazendo de conta, que eu estava por aqui mesmo esse tempo todo e nada aconteceu! Esse tempo ausente não poderia ser explicado em um post. Nada grave ou sério, só o desenrolar da vida mesmo!

Há semanas tenho sentido uma vontade grande de voltar a blogar, lançar meus pensamentos aos ventos, documentar algumas estórias e acontecimentos, falar o que anda engasgado, reconectar com algo que foi tão significativo pra mim no passado, e também voltar a cultivar algo de bom, como cultivar uma plantinha, que vai nascer e vai me dar bons frutos e orgulho!!! O blog é um coisa que faço pra mim. Uma das minhas metas para 2019 é cuidar mais de mim, fisicamente, mentalmente e emocionalmente 

Quando eu comecei a blogar, lá em 2010, a minha intenção era interagir. Seguia muitos blogs americanos e passava as tardes sonhando com as imagens lindas de decoração e DIY que via, com os textos tocantes que eu lia, enfim, eu também quis criar o meu cantinho para compartilhar, espalhar o belo e eu fui retribuída com muito carinho inesperado e amizades duradouras, aqui eu ganhei mais do que eu imaginei que seria 

Sabe, eu tenho uma teoria quando se trata de blogs, aqui a gente dá o nosso melhor, senta, edita, escolhe as melhores fotos, elabora o texto com cuidado, esse processo leva um tempo, uma dedicação na verdade, que é muito prazerosa para quem o faz. Quando eu blogava, eu fazia mais por mim, do que para os outros, e por ser verdadeiro e genuíno, era uma satisfação pessoal que me trazia como retorno muitas alegrias. Já nas redes sociais, o processo é outro, aliás não tem processo, tudo é instantâneo, imediatista, impulsivo, impensado "pá pum". E pronto! Próximo post, próxima notícia! Entendem? E o retorno de bons sentimentos ou sensações positivas nas redes sociais é escasso! Para ser sincera, ás vezes eu me sinto deprimida e "pra baixo" quando estou nas redes sociais. É um sentimento que eu já reconhecia em mim, há anos atrás já havia reclamado do Facebook em alguns posts aqui no blog e com o tempo, e a política (principalmente) só piorou essa sensação...

As redes sociais andam chatas demais, isso é fato e é reflexo do mundo que vivemos. Um mundo que julga demais o próximo, carregado de hipocrisia, que como dizia a canção: "já tem uma opinião formada sobre tudo"...

Mas...não vim aqui só para falar de redes sociais, quero quebrar o ciclo que tenho visto e fazer diferente! Minha postura nas redes sociais também precisa mudar. São novos tempos e a gente precisa se adaptar, mas não significa simplesmente aceitar e sim fazer diferente! Tenho que começar por mim, não é mesmo? Eu continuo sendo uma otimista! Vou focar na minha vida, nas minhas vivências atuais, naquilo que eu gosto e quero compartilhar...desculpe o egoísmo, mas acho que eu preciso disso nesse momento da minha vida. Blogar, eu repito, vai ser mais pra mim, do que para agradar os outros. Mas eu vou ficar feliz com a interação que receberei, mas sem julgamentos, ok?!

As pessoas são diferentes, pensam e agem diferentes, e estamos desaprendendo a respeitar isso. É uma reflexão muito válida para deixar aqui esse post de retorno, serve pra mim também, rs

Não sei como será a frequência de posts, também quero atualizar o layout da página, uma nova foto de perfil, enfim, aos poucos vou fazendo as mudanças necessárias, mas vou fazer tudo devagar e no meu tempo, sem pressão!!!

Sejam todos bem vindos de volta ao meu cantinho